09/10/2019 às 14h14

Economia baiana mostra sinais de recuperação

Juceb aponta franca recuperação da economia baiana. A prova deste crescimento está nos números levantados pela autarquia. O Governo do Estado da Bahia vem atuando no sentido de melhorar o ambiente de negócios do Estado, facilitando a abertura e legalização de empresas. A desburocratização dos processos, com a expansão da Redesim, sistema informatizado único que integra todos os atores envolvidos no registro, e a possibilidade do processo ser feito de forma 100% digital, permitindo que o empreendedor registre sua empresa sem sair de casa, diminuindo custos, ganhando em tempo e comodidade, são exemplos de como a Juceb junto ao Governo tem investido no fomento ao empreendedorismo na Bahia.

A Juceb vem realizando programas e ações para tirar os empreendedores da informalidade, como a Campanha “É LEGAL SER LEGAL. O intuito da campanha é realizar uma série de eventos e medidas que levem informações e os serviços realizados pela Junta à classe empresarial, inclusive no âmbito do empreendedorismo rural, mostrando todos os benefícios de legalização, como o acesso à micro créditos, participação de licitações, melhor relacionamento com clientes e fornecedores, dentre outros.

Algumas outras ações estão em andamento para tentar atingir maior alcance em toda a Bahia, como o Juceb Itinerante, que contará com um posto móvel da Juceb percorrendo o interior do Estado e o Observatório Interativo do Empreendedorismo Baiano, que será lançado na próxima Fenagro 2019 e tem objetivo de atender ao público alvo que circunda o evento.

A Bahia vislumbra e trabalha em um cenário propício de novas e positivas expectativas. E em relação aos negócios fechados, a Juceb esclarece, seguindo a tendência de desburocratização, que a baixa de empresas é simples, on line e gratuita. A Junta Comercial do Estado da Bahia aproveita ainda para informar que além da isenção da taxa do DAM (Documento de Arrecadação Mercantil) para arquivamento de atos relativos à extinção de empresas, está liberada também a cobrança do DARF (Documento de Arrecadação da Receita Federal) para qualquer ato levado a registro. É importante salientar que não dar baixa nas empresas implica no acúmulo de cobrança de taxas indevidas, multas e impostos por parte dos órgãos de fiscalização.

Leia matéria do Jornal Tribuna da Bahia dessa terça-feira (08), por Lício Carvalho.